Entenda o que é e como fazer uma DRE na sua empresa

É altamente recomendável saber como fazer uma DRE (Demonstração do Resultado de Exercício). Afinal, trata-se de uma das mais importantes demonstrações contábeis. Esse relatório é muito relevante para os seus clientes, uma vez que é usado não só pelo governo, mas também por bancos, investidores e gestores.

Como o documento permite avaliar a real capacidade e situação da sua empresa, ele acaba sendo uma ferramenta imprescindível para qualificar o processo de tomada de decisões.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, uma visão geral sobre a DRE, a fim de ajudar você a compreender melhor como ela deve ser elaborada. Boa leitura!

O que é DRE?

A DRE é um documento de demonstração contábil que objetiva detalhar os elementos responsáveis pelos resultados líquidos de um determinado período por meio da confrontação das despesas, custos e receitas de uma empresa.

Essas informações são apuradas de acordo com regime de competências, princípio segundo o qual as despesas e as receitas devem ser incluídas nas operações dos resultados referentes aos períodos em que ocorrem.

Dito de outra forma, a DRE apresenta um resumo econômico do resultado operacional e não operacional de uma empresa. Para fins de divulgação, ela engloba o exercício financeiro, podendo abranger todo o período de 12 meses ou ser mensal e trimestralmente elaborada, dependendo do fim desejado.

Para que serve esse relatório?

Enquanto ferramenta contábil, a DRE serve para avaliar o status econômico de uma organização, isto é, mostrar o prejuízo ou o lucro que a empresa obteve.

Enquanto controle financeiro, a DRE serve, por exemplo, para auxiliar os líderes e gestores a obterem uma perspectiva real acerca das decisões a serem tomadas, fazendo previsões mais precisas e realistas e verificando se determinados investimentos são economicamente viáveis.

Qual a importância do DRE para a empresa?

A DRE permite, conforme mencionado, uma visualização geral da saúde financeira da empresa. Isso é fundamental para extrair informações relevantes, tais como:

  • quais estratégias devem ser adotadas;
  • os níveis reais de endividamento;
  • o impacto dos impostos sobre os produtos e/ou serviços comercializados;
  • o lucro atingido pelas operações de negócio;
  • a receita obtida pelas vendas totais;
  • a composição de custos relativos aos serviços e produtos;
  • o total de despesas da empresa.

Como elaborar uma DRE de maneira correta?

A apresentação da DRE deve seguir um estrito ordenamento preciso. Na estrutura, devem ser discriminados os valores relativos à receita bruta de serviços e vendas, bem como suas deduções e os impostos que incidem sobre as suas operações de vendas, além de eventuais abatimentos.

A seguir, você chegará ao valor referente às receitas líquidas do período, das quais devem ser subtraídos todos os custos dos produtos que foram vendidos e/ou dos serviços que foram prestados. Isso serve para chegar aos resultados operacionais brutos.

Você deve subtrair desses valores todas despesas ocorridas no período em questão e acrescer as demais receitas. Tais cálculos geram os resultados operacionais líquidos, de modo prévio à incidência de impostos sobre lucro. Após subtrair os valores referentes às tributações, você chegará, então, aos resultados líquidos.

Cumpre ressaltar, por fim, que a DRE não deve ser utilizada somente para fins fiscais ou legais. Ela deve ser aproveitada, também, para aprimorar a gestão estratégica do seu negócio e para qualificar a governança corporativa.

Saber como fazer uma DRE significa adquirir a capacidade de analisar criticamente os números alcançados e identificar com precisão a eficiência de suas práticas, possibilitando, consequentemente, uma excelente gestão financeira!

Gostou do artigo? Então, não perca a oportunidade de continuar se aprimorando: entenda como funciona um balancete contábil!