Conheça os tipos de regime tributário que sua empresa pode adotar!

O conceito de regime tributário refere-se às leis que indicam e regem os tributos e impostos que sua empresa deve pagar ao governo. Sendo assim, é altamente recomendável selecionar, entre os diferentes tipos de regime tributário, o mais adequado para o seu negócio e, assim, evitar problemas futuros.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, quais são os tipos de regimes tributários e como escolher o ideal para a sua organização. Boa leitura!

Lucro real

O lucro real é geralmente usado por grandes empresas e organizações multinacionais que optam pelo cálculo da tributação com base em seus lucros líquidos, porém, empresas menores que não tenham altas margens de lucro também podem ser beneficiadas. No entanto, a contabilidade deve ser minuciosa, a fim de tornar viável essa opção.

Para essas empresas, o lucro real se torna altamente benéfico, pois, caso existam prejuízos no período de apuração, elas não ficam sujeitas ao pagamento de Imposto de Renda e Contribuição Social (em alguns casos a empresa fica inclusive com créditos desses tributos, para serem usados futuramente). 

Lucro presumido

Neste regime, o cálculo da tributação deve se fundamentar em uma margem estipulada de lucros. Logo, há uma importante diferença qualitativa em relação ao modelo anterior, já que no lucro presumido os tributos são aferidos de acordo com o faturamento global da empresa.

Se a organização que está inserida no lucro presumido tiver algum prejuízo, acabará pagando mais do que se estivesse no lucro real, uma vez que os tributos são calculados segundo um valor previamente estipulado sobre o faturamento, ou seja, se este valor não for alcançado na prática, os impostos serão mais custosos.

Simples nacional

O simples nacional é, geralmente, o mais vantajoso regime tributário para micro e pequenas empresas, devido à composição de uma carga tributária mais enxuta, a fim de favorecer empreendedores iniciantes que desejam lançar novos negócios.

Pode-se afirmar que, de modo geral, o simples nacional apresenta as alíquotas mais baixas e diferentes vantagens para esse perfil de empresa. Para enquadrar a sua empresa, ela não pode exceder o limite de R$ 4,8 milhões de faturamento anual. Caso contrário, é preciso progredir ao lucro presumido ou lucro real.

Como encontrar a melhor opção para o seu negócio

Antes de se decidir por um regime tributário, convém levar em consideração certas situações que podem ajudar a fazer a escolha mais adequada para o seu negócio:

  • examine as diferentes possibilidades de tributação. Por mais que você já tenha uma ideia a respeito de qual tributação gostaria de encaixar a sua empresa, não deixe de examinar e estudar todas as possibilidades, a fim de encontrar a mais benéfica;
  • analise suas margens de lucro. Embora o faturamento anual seja um elemento que não deve ser negligenciado, é importante realizar essa análise. Afinal, por meio das tabelas relativas a cada um dos regimes possíveis, você já saberá a porcentagem que incidirá sobre a sua empresa;
  • considere o recebimento de créditos tributários. Ainda que as alíquotas sejam mais altas no lucro real, é possível receber créditos tributários (algo que pode vir a se mostrar muito útil para o seu negócio);
  • considere os gastos indiretos. A redução de gastos gerada a partir da seleção de um determinado regime deve ser realmente vantajosa para o seu negócio, isto é, ela deve propiciar uma redução nos custos, e não sua mera realocação.

Por todos os pontos expostos, evidencia-se a imperiosa necessidade de prestar o máximo de atenção possível ao escolher entre os diferentes tipos de regime tributário e ao recolhimento de tributos. Dessa forma, você evitará problemas com o Fisco e a existência de irregularidades a partir do crescimento de suas operações.

Gostou do artigo? Então, compartilhe este post em suas redes sociais e ajude seus amigos a se livrarem de dúvidas quanto à seleção do regime tributário!